2 de Setembro de 2016

Autonomia e independência do idoso: qual a diferença?

Imagem da Notícia

Um idoso, seu familiar ou cuidador, na convivência com profissionais da saúde – sejam médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos ou outros – pode ter dúvidas em relação a algumas das expressões utilizadas por eles no consultório. Nesse sentido, é muito comum confundir os termos autonomia e independência.

Embora pareçam similares, o significado de ambos faz bastante diferença na prática da manutenção da qualidade de vida dos idosos.

AUTONOMIA – capacidade de gerenciar-se, tomar decisões e planejar seus objetivos. Tem relação direta com a aptidão mental da pessoa.

INDEPENDÊNCIA – capacidade de fazer suas atividades do dia a dia sem precisar da ajuda de terceiros. Tem relação com a habilidade física. Inter-relações entre autonomia e independência. O idoso, portanto, pode ser autônomo e independente, mas também pode ser apenas um ou outro. 

Tanto o geriatra quanto a psicóloga são categóricos em aconselhar: as famílias precisam aprender a separar bem as necessidades do idoso de acordo com sua capacidade de autonomia e independência. Respeito com o idoso: ele é um adulto.

Os familiares ou cuidadores que começam a ver o idoso como uma criança ou um não-adulto devem parar para refletir. A importância de poder continuar decidindo é preservar a autonomia e quando o idoso para de tomar decisões, ele se acomoda e, aos poucos, sua capacidade de escolha fica comprometida. 


Assine nossa newsletter

Que tal sempre ficar por dentro quando novas notícias forem publicadas?

ATENDIMENTO AO CLIENTE

0800 770 66 00