30 de Setembro de 2016

Cuidadores de Idosos: Formar para cuidar

Imagem da Notícia

Cuidar de um idoso não é tarefa fácil, seja o cuidador um familiar ou alguém contratado para isso. Mais do que dedicar tempo e carinho, um cuidador de idosos precisa de certo conhecimento específico para exercer a função. Isso porque a pessoa idosa está mais exposta a alguns riscos como quedas, AVCs, problemas de memória, entre outros. É função do cuidador prevenir ao máximo essas ocorrências e saber o que fazer quando forem inevitáveis – além de desenvolver uma boa comunicação com o idoso e sua equipe de saúde.

Desde 2012, 2.500 pessoas já passaram pelo curso oferecido pela psicóloga Maria Elizabeth Bueno Vasconcellos, especialista em Gerontologia. O “Curso de Capacitação e Orientação para uma Vida Mais Saudável” – da empresa APOIO, acontece uma vez por mês na Câmara Municipal de São Paulo e acolhe tanto profissionais como familiares que cuidam de idosos. O objetivo não é formar profissionais, mas fornecer informações que apoiem o trabalho do cuidador e ser um espaço para troca de experiências. Neste curso, também há oportunidades de conhecer melhor cuidados e produtos adequados para idosos que apresentem incontinência urinária.“Nós falamos de doenças, emergências que podem ocorrer no lar e como resolver possíveis conflitos”, conta Elizabeth. “O dia a dia de um cuidador é muito desgastante, por isso nos preocupamos em dar dicas lúdicas para melhorar a qualidade de vida dele e do paciente”.

Elizabeth diz que, além de acolher as necessidades das pessoas que procuram o curso, ouvindo também a experiência de cada participante, o curso também pode ser uma porta para uma futura formação como cuidador. “Muita gente cuida do seu familiar e depois vê que pode fazer disso uma profissão. Então o ideal é ir depois procurar um curso de formação, que dê um certificado de cuidador de idosos”, aconselha.Há vários cursos de formação específica para cuidadores de idosos pelo Brasil, pagos e gratuitos, inclusive pelo Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), do Governo Federal. É uma função que deve ser cada vez mais requisitada, dado o envelhecimento da população. Atualmente, há quase 24 milhões de idosos no Brasil, dos quais 13% possuem alguma dificuldade para realizar as atividades diárias, segundo o Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas).O OLHE (Observatório da Longevidade Humana e Envelhecimento) é uma organização não governamental que oferece, desde 2011, o Projeto Cuidar é Viver, curso de formação de cuidadores de idosos.

Parte do curso é subsidiado por meio do Fundo Ecosystem, e os alunos pagam apenas uma taxa de adesão. A carga horária é de 120 horas, distribuída duas vezes por semana, com cerca de três meses de duração.“Já formamos 810 cuidadores, todos com certificado e aptos para o mercado de trabalho, graças a aulas teóricas e também vivências práticas que realizamos em uma instituição de longa permanência”, conta Marília Berzins, especialista em Gerontologia, presidente do OLHE e coordenadora do curso.

O conteúdo do curso abrange cuidados práticos, como transferir o idoso de um local para outro (do sofá para cama, entre macas, etc), imobilizá-lo, dar medicamentos e aborda as doenças mais comuns. Além disso, trata dos direitos trabalhistas dos cuidadores, como se apresentar em uma entrevista para emprego e montar um currículo, bem como direitos do idoso.

O curso não tem uma sede fixa – ele é realizado onde houver procura. “Tendo de 30 a 40 alunos abrimos uma turma. Pode ser em salão, igreja, sindicato ou comunidade”, diz Marília. Embora seja aberto a todos, a coordenadora diz que 95% dos inscritos são mulheres com nível de escolaridade fundamental ou médio e com histórico de trabalho doméstico. São diaristas, passadeiras e empregadas domésticas que enxergam na futura profissão uma oportunidade de crescimento profissional.“Elas já sabem como é trabalhar na casa de outra pessoa e como se portar junto à família”. O único pré-requisito é que o interessado no curso tenha mais de 18 anos, saiba ler e escrever. “Isso é essencial para dar medicamentos e acompanhar o paciente à consulta médica”, diz.

É muito importante entender que o cuidado com o idoso exige, além de carinho e atenção, preparo adequado das pessoas envolvidas com o cuidado diário. Isso contribuirá para melhores práticas diárias e, consequentemente, melhor qualidade de vida do idoso e do cuidador.Para mais informações sobre os cursos, acesse:Apoio Saúde Bem EstarOlhe

Assine nossa newsletter

Que tal sempre ficar por dentro quando novas notícias forem publicadas?

ATENDIMENTO AO CLIENTE

0800 770 66 00