22 de Dezembro de 2016

Dicas para estimular a pessoa com Alzheimer

Imagem da Notícia

A doença de Alzheimer tem diferentes níveis de progressão. Da fase inicial até a mais avançada, é possível realizar atividades e tomar atitudes para estimular o paciente com essa doença, seja para preservar as funções que ele ainda mantém ou simplesmente para que ele contemple a beleza de manifestações artísticas. Tudo vale, desde que não exponha o idoso a situações embaraçosas, com as quais ele se sinta consternado por não conseguir realizar tal atividade proposta.“O principal estímulo para uma pessoa com Alzheimer é permitir que ela exerça sua autonomia, no grau em que ela seja possível”, diz Fernanda Gouveia Paulino, psicóloga e docente da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Muitas vezes, as famílias, na intenção de poupar o ente amado, não estimulam a autonomia, o que acaba por deixar essa pessoa na apatia. “Muitos dizem que não querem fazer nada, porque têm medo de se frustrar. Mas é importante que sejam propostas atividades que a pessoa com Alzheimer consiga realizar e se sinta bem fazendo, porque a estimulação não está na atividade em si, mas em como ela é proposta”, explica a especialista. Cristiane Pomeranz, arteterapeuta e uma das líderes do Projeto Faça Memórias, que promove oficinas de arte para idosos com Alzheimer, diz que é possível desenvolver técnicas e atividades de acordo com a habilidade da pessoa. “Se ela não consegue mais usar a motricidade fina e segurar um pincel, oferecemos um rolo de pintura”, explica. “O importante é que a atividade não seja cansativa e nem frustrante.” Orientada por um profissional, qualquer atividade que estimule a cognição dos idosos com perda de memória é, sem dúvida, mais efetiva.

No entanto, há muito para um cuidador ou familiar fazer em casa junto a seu parente ou paciente com Alzheimer ou outra doença que afete a função cognitiva. As especialistas dão algumas dicas:Use o tablet – Há uma série de jogos que podem ser interessantes para o idoso com Alzheimer. Proponha alguns e deixe-o escolher o que mais gosta. Estimule para que ele anote em um papel o passo a passo de como ligar o aparelho e acessar o aplicativo, assim ele ganha independência e não depende de ninguém para iniciar a atividade. Já há aplicativos voltados para pacientes com Alzheimer.

Fazer a lista do supermercado – O idoso pode anotar o que é preciso comprar e levar a lista ao mercado. Chegando lá, ele deve ler três itens e tentar decorá-los, sem recorrer novamente à lista.

No artesanato, mais do que a repetição, o importante é o planejamento. Se for fazer uma bijuteria, por exemplo, proponha que o idoso faça um desenho planejando como será a peça – um colar, uma pulseira – e a ordem das pedras ou dos materiais que serão usados para só então depois passar para a execução.

Um jogo de bingo é sempre divertido. Para ter uma função de estímulo, aumente a dificuldade do jogo. Ao invés de uma cartela, faça o idoso usar duas, por exemplo.

TV só com propósito. Não é porque o idoso gosta de ver televisão que deve assistir o dia todo. Veja com ele um vídeo curto, um trecho de um capítulo de novela e discuta o que viram. A discussão é importante para que ele se esforce em lembrar o que viu e faça conexões entre as histórias e personagens.Jogos com regras. Há muitas opções de jogos de tabuleiro para adultos e que exigem que regras sejam obedecidas. Isso é positivo para que o paciente se mantenha atento ao que pode ou não fazer no jogo.Leve o idoso a museus.

Ainda que ele não se manifeste mais verbalmente, estudos mostram que a estética permanece e ele tirará proveito da apreciação artística.Coloque músicas que tenham a ver com a história pessoal do paciente. Isso pode ativar memórias antigas.Leia livros e poemas para o idoso e tente conversar sobre a leitura.

Assine nossa newsletter

Que tal sempre ficar por dentro quando novas notícias forem publicadas?

ATENDIMENTO AO CLIENTE

0800 770 66 00