15 de Maio de 2017

Incontinência urinária e quedas

Imagem da Notícia

A queda, para os idosos, pode ser considerada um problema comum e grave. A cada 10 pessoas acima dos 65 anos, três podem sofrer uma queda por ano. O pior é que a maioria desse tipo de acidente acontece dentro de casa. As consequências podem ser sérias, como fraturas e até óbito.

Outro problema muito comum entre idosos é a incontinência urinária, ainda que não seja uma condição natural do envelhecimento. O preconceito em relação à incontinência faz com que muitos idosos – principalmente as mulheres – não falem sobre essa questão nem ao médico, carregando consigo sofrimento desnecessário, já que a possibilidade de cura é alta, segundo o urologista Carlos Henrique Belucci, coordenador-geral do Departamento de Urologia Feminina e Uroneurologia da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Cada um desses problemas, em separado, já é bastante complicado. No entanto, infelizmente, pesquisas mostram que, cada vez mais, eles têm andado juntos. Uma pesquisa feita na Austrália e publicada no The Journal Of Urology, acompanhou 1.090 homens acima de 70 anos sem doenças neurodegenerativas, sem problemas de mobilidade e sem demência.

O resultado mostrou que aqueles com incontinência urinária de urgência formaram o grupo que mais apresentou quedas. Na China, uma pesquisa analisou a incidência de queda entre fazendeiros idosos. Participaram do estudo quase 2.400 pessoas, das quais 14,5% sofreram quedas, sendo quase o dobro de mulheres do que homens. Quase 30% das quedas levaram a ferimentos, a maior parte nos quadris. Os pesquisadores perceberam que exercício físico e alta renda se mostraram como fatores de maior proteção e, ao contrário, dificuldades para andar e de visão foram alguns dos principais fatores de risco.

Ainda, entre as mulheres, a incontinência urinária apresentou-se como o maior fator de risco. Outro estudo, esse realizado nos Estados Unidos, determinou que 48% das idosas analisadas com incontinência urinária tinham risco alto de quedas. Dessas, 50% tinham vontade urgente de urinar durante a noite. Ao serem analisadas, todas tiveram baixa performance física, com pouca força muscular, dificuldade de marcha e equilíbrio. Resultado parecido foi obtido em uma pesquisa de mestrado do curso de Enfermagem na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) com 211 idosos.

No caso brasileiro, as quedas estiveram muito associadas à incontinência, dificuldade de marcha e equilíbrio. Unindo os pontos“A explicação para maior número de quedas entre idosos com incontinência é simples”, diz Belucci. “Idosos com algum problema de mobilidade já têm uma dificuldade natural com a marcha. Associe a isso a urgência de urinar e a pressa em ir ao banheiro e a queda está explicada”. Os resultados de pesquisas que mostram que as quedas são maiores entre as mulheres acompanham os números da incontinência – elas têm duas vezes mais probabilidade de apresentar incontinência urinária do que os homens.Pior ainda quando a vontade de urinar acontece no meio da noite. “O idoso está mais sonolento, levanta-se da cama e o quarto está escuro. O risco de queda é muito grande”, explica o médico, que salienta a importância de buscar o tratamento para a incontinência, o que por si só já diminuiria o risco de quedas.Enquanto o quadro não está resolvido, algumas orientações devem ser seguidas para minimizar o risco de quedas:

Tenha um abajur ao lado da cama do idoso para que ele possa acender a luz facilmente a fim de chegar ao banheiro. Se necessário, há sensores de presença que, uma vez instalados, acendem a luz automaticamente quando há movimentação no ambiente. A cama deve ser da altura adequada para que o idoso possa levantar-se com facilidade. Tire tapetes do caminho ou outros objetos e móveis que possam fazê-lo escorregar ou cair. Deixe um calçado de solado emborrachado ao lado da cama para calçá-lo para ir ao banheiro. Mantenha o chão do banheiro seco para evitar escorregões Reduza a ingesta de líquidos à noite para diminuir a vontade de urinar após dormir.

O uso de produtos absorventes adequados, também contribui para minimizar o risco de quedas em idosos:Selecione produtos absorventes, com capacidade de absorção adequada ao nível de incontinência urinária do idoso: leve, moderada ou severa, o que evita vazamentos e proporciona maior segurança ao idoso.Idosos com incontinência urinária leve, são beneficiados pelo uso de absorventes urinários (feminino ou masculino).

Idosos com incontinência urinária moderada a severa, podem utilizar os modelos que imitam as roupas íntimas. Os produtos absorventes conhecidos como “pants”, são vestidos como uma cueca ou calcinha e facilitam o uso do banheiro.http://www.tena.com.br/produtos/

Assine nossa newsletter

Que tal sempre ficar por dentro quando novas notícias forem publicadas?

ATENDIMENTO AO CLIENTE

0800 770 66 00