25 de Janeiro de 2017

“Sex and the city” na terceira idade: como a amizade entre mulheres pode ser transformadora nessa fase

Imagem da Notícia

Amizade implica afeto e escolha. “Enquanto existe obrigatoriedade no vínculo com filhos e netos, por exemplo, há livre escolha no contato com amigos”, explica Deusivania Vieira da S. Falcão, psicóloga, professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP) e pesquisadora na área de Psicologia do Envelhecimento e Família.“Portanto, a seleção de amigos é mais um resultado das escolhas pessoais do que da influência de normas sociais.

O prazer de ter amigos e os sentimentos despertados com essa amizade trazem benefícios à qualidade de vida”. Diversas pesquisas científicas atuais indicam que os relacionamentos com amigos têm um potencial de proteção para o bem-estar subjetivo e a saúde dos idosos.

A amizade, diz a especialista, é um processo dinâmico que se desenvolve e se modifica com o passar dos anos e das etapas do ciclo vital, por isso as escolhas podem ser muito diferentes ao longo da vida.

Na infância, a amizade envolve divertimento, reciprocidade, afeto, cooperação, benefícios em trocas sociais e bom manejo de conflitos. Já as relações de amizades entre adolescentes incluem aspectos como lealdade, intimidade e confiança. “Nessa fase, são importantes os interesses comuns e o comprometimento entre as partes”, diz Deusivania.

No adulto jovem, o contexto universitário favorece a exploração de tipos distintos de amizades e de relacionamentos românticos. No adulto que possui um parceiro estável e/ou filhos, a amizade perde espaço para a família e a carreira, limitando-se a poucos contatos com um número menor de amigos.

Já entre os idosos, a psicóloga diz que as relações de amizade sofrem influência do gênero, faixa etária, religião, estado civil, etnia, escolaridade, quantidade de amigos, tempo de amizade e saudosismo quanto às relações passadas. “A população idosa tende a escolher as pessoas com quem deseja interagir, diminuindo seu círculo social, mas privilegiando os relacionamentos com amigos da mesma idade do que com membros da família”, afirma.

Nesse contexto, a amizade entre mulheres na terceira idade pode trazer grandes contribuições para as amigas. “As mulheres são mais disponíveis para propiciar apoio do que os homens, pois convencionou-se que envolvimento emocional e dedicação estejam mais presentes na educação feminina”, diz.

Um modo particular de ser amiga Alguns estudos indicaram que os padrões e as percepções da amizade se modificam de acordo com o gênero, a época da vida, posição social, etnia, contexto sociocultural, histórico e econômico em que a pessoa vive. “De qualquer forma, a amizade favorece a estabilidade e a integração emocional. O vínculo positivo e afetuoso com as amigas, pautado na confiança e nas trocas mútuas, favorece a preocupação pelo cuidado, bem-estar e felicidade mútua”, explica a psicóloga.

Amigas também são companhia e, além disso, podem ter diversas outras funções na vida pessoa. “As amizades podem manter ou promover melhores condições de saúde física e emocional às pessoas idosas, mas vai depender da ‘qualidade’ dessas relações, da comunicação, da confiança, das confidências e das trocas estabelecidas”, diz. “Um amigo ou amiga pode influenciar o outro a fazer uma psicoterapia, atividade física, a sair de casa e conhecer novas pessoas, outros lugares.

Uma palavra amiga pode favorecer uma autoavaliação positiva, dar segurança e elevar a autoestima”.Amizade também pode ser negativaPor outro lado, também, é preciso lembrar que qualquer relação é capaz de desencadear resultados negativos se houver falta de confiança, de lealdade e de companheirismo ou da excessiva assistência ou dependência.“Por não ser uma relação de obrigatoriedade, quando os aspectos negativos da amizade se sobrepõem aos positivos é possível se afastar ou romper com essa amiga”, diz Deusivania. “Isso de certa forma, também, promove crescimento pessoal.”A psicóloga salienta que, assim como a velhice, as amizades também são heterogêneas. “Com determinados amigos temos mais liberdade e podemos falar mais sobre nossa intimidade, com outros podemos contar nos momentos de diversão. Enfim, são diversas as variáveis ligadas à amizade e que se refletem na felicidade e no bem-estar”.

Assine nossa newsletter

Que tal sempre ficar por dentro quando novas notícias forem publicadas?

ATENDIMENTO AO CLIENTE

0800 770 66 00